Statoil tem lucro menor no 2º tri, mas supera expectativas

A petrolífera norueguesa Statoil divulgou hoje que teve lucro líquido de 10 bilhões de coroas norueguesas (US$ 1,22 bilhão) no segundo trimestre deste ano, 16% menor que o ganho de 11,9 bilhões de coroas registrado em igual período de 2014. Na mesma comparação, a receita caiu 13%, a 124,4 bilhões de coroas.

Embora mais fracos, os resultados superaram as expectativas. Analistas previam lucro de 5,4 bilhões de coroas norueguesas e receita de 121,6 bilhões de coroas no segundo trimestre.

Por volta das 4h30 (de Brasília), as ações da Statoil subiam 2,6% na Bolsa de Oslo.

O lucro ajustado antes de juros e impostos, uma medida do desempenho subjacente da empresa, caiu para 22,4 bilhões de coroas norueguesas, de 32,3 bilhões de coroas um ano antes.

Fonte: http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/statoil-tem-lucro-menor-no-2o-tri-mas-supera-expectativas

Petróleo fecha em forte queda em NY, pressionado pela China

Os contratos futuros de petróleo encerraram o pregão desta segunda-feira, 27, em forte baixa, pressionados pelo recuo acentuado das bolsas na China e pelo temor de excesso de oferta global da commodity.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo para setembro fechou em queda de US$ 0,75 (1,56%), a US$ 47,39 por barril, o menor preço de fechamento desde 20 de março. Na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres, o Brent para o mesmo mês cedeu US$ 1,15 (2,11%), para US$ 53,47 por barril.

A Bolsa de Xangai sofreu o maior tombo desde 2007 no pregão desta segunda-feira, pressionada por temores de que as autoridades em Pequim estejam retirando recentes medidas de apoio aos mercados locais.

O índice Xangai Composto, o principal da China continental, caiu 8,5%, a 3.725,56 pontos, acumulando perdas pela segunda sessão consecutiva e registrando a maior queda porcentual desde 27 de fevereiro de 2007

O mergulho do principal índice de ações reacendeu os “receios de redução da demanda da China”, disse Joseph George, analista de commodities da Schneider Electric. A China é o segundo maior consumidor de petróleo do mundo.

Os preços também foram pressionados na sessão por dados divulgados na sexta-feira pela consultoria Baker Hughes, que informou que o número de poços e plataformas de produção de petróleo em atividade nos EUA chegou a 659 na semana passada, com crescimento de 21 em relação à semana anterior. Esse foi o maior ganho em semanal desde fevereiro de 2014.

“Os produtores dos EUA continuam a perfurar no ritmo mais rápido em três décadas, apesar dos preços mais baixos”, acrescentou George.

“A produção norte-americana ainda tem de mostrar sinais de uma substancial queda uma vez que os mercados do petróleo permanecem com excesso de oferta”, completou. Fonte: Dow Jones Newswires.

Fonte: http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/petroleo-fecha-em-forte-queda-em-ny-pressionado-pela-china